Parece que foi ontem, mas há 80 anos começava na Praça 11 o que hoje conhecemos como os desfiles de carnaval na Marquês de Sapucaí. E na noite desta terça-feira (7), no Terreirão do Samba, no Centro da cidade, foi o dia exato dos primeiro “desfile” a prefeitura do Rio e o jornal Extra montaram uma grande festa para homenagear o cartão postal da cidade, o Carnaval. Para celebrar as escolas Portela, Mangueira, Unidos da Tijuca e Estácio de Sá foram convidadas para mostrarem como tudo aconteceu da primeira vez.

“Está é a maior festa do mundo e representa a imagem do Rio de Janeiro lá fora. E tudo isso tem que além de estar muito bem para quem chega, tem que ter a cara de quem faz, a cara do povo do samba. E com a reforma do Terreirão do Samba, da Sapucaí, da Quadra da Portela, e uma melhor estruturação dos blocos de rua, damos muito mais suporte para que o Carnaval seja realizado da melhor forma possível, cada dia mais”, afirmou o prefeito Eduardo Paes.

Como parte das comemorações, a Mangueira, Portela Unios da Tijuca e Estácio de Sá foram convocadas para mostrarem ao povo como foi o primeiro desfile de carnaval, em 1932, com as caracteristicas originais de fantasias e cadência do samba. As quadro receberam o convite por serem as únicas a ainda permanecer desde o primeiro desfile que aconteciam em meio ao povo e não em um lugar específico como conhecemos hoje.

Além das agremiações, também aconteceu uma votação pela internet para homenagear as figuras mais importantes do samba, em 80 anos de desfiles. Luma de Oliveira, Joãosinho Trinta, Vilma da Portela, Tijolo da Portela, Paula do Salgueiro, Robalo, Monarco, Jamelão e Mestre André foram lembrados. Para receber o prêmio pelo falecido Joãosinho Trinta, veio da Suíça a famosa passista Pinah que sambou para o Príncipe Willian na sua primeira visita ao Brasil.

Sem mais artigos