A 34ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo começa nesta sexta-feira. Retrospectivas, homenagens e exibições especiais darão um tempero a mais para o evento. O crítico de cinema e diretor da mostra, Leon Cakoff, falou à Jovem Pan sobre as grandes surpresas deste ano.

A abertura será realizada com o filme O Estranho Caso de Angélica, que a mostra co-produziu com Portugal e França e é dirigido por Manuel de Oliveira, de 101 anos. Muitos outros eventos acontecerão paralelamente à mostra, que exibirá mais de 400 filmes “com o que tem de mais instigante, curioso, divertido, emocionante pelo mundo”.

Na coleção O Filme da Minha Vida, diversos artistas darão depoimentos sobre qual foi o filme que marcou sua vida. No ano seguinte, essas declarações são reunidas em livro, lançado durante a mostra. “Quem abrirá a série de depoimentos deste ano será Win Wenders”, revelou.

Leon Cakoff falou sobre a importância deste evento para o Brasil. Segundo ele, o objetivo é estimular essa vontade de discutir, aprender e partilhar emoções através do cinema. “Acho que é uma arte fantástica, acho que é a união de todas as artes que vem através da história da humanidade e que no século XX culminou nessa invenção maravilhosa que é o cinema”, ressaltou.

Ao ser questionado se o cinema é uma indústria ou uma arte, ele foi sucinto: “é uma indústria importante, forma técnicos, gera economia, mas é uma arte”. O diretor também lembrou que muitos dos longas indicados ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro estarão na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, como da República Tcheca, da Polônia, da Alemanha, entre diversos outros países.

Ele reiterou que o evento é para todo tipo de cinéfilo, com sessões gratuitas, com descontos e facilidades, além de diversos horários e locais da cidade, para que todos possam curtir a Mostra. Acesse o site oficial da Mostra para acompanhar toda a programação do evento.

Sem mais artigos