Em sua última entrevista, Sergio Rodrigues, designer de móveis morto aos 86 anos na última segunda-feira (1), revelou que sua mais famosa cadeira, a Mole, levou um ano para ser vendida. A fala fará parte de um livro-homenagem que será lançado no próximo dia 10, an feira de arte ArtRio, no Rio de Janeiro.

Intitulado De Sergio Para Adolpho, a obra trará um depoimento dado por Sergio no dia 12 de agosto. O título faz referência a Adolpho Bloch, empresário do ramo do jornalismo e amigo íntimo do designer.

“Acho que as pessoas pensavam: coisa esquisita, parece cama de cachorro”, brincou Sergio ao explicar a demora na venda da poltrona que se tornaria sua mais célebre criação. Depois de um ano na vitrine, a primeira Mole foi vendida para a empresária Niomar Moniz Sodre Bittencourt, dona do jornal Correio da Manhã e uma das fundadoras do MAM do Rio de Janeiro. Com informações do jornal O Estado de São Paulo.

Sem mais artigos