Jamie Foxx, que vive o protagonista de Django Livre, novo filme de Quentin Tarantino, não gostou nem um pouco das críticas feitas pelo cineasta Spike Lee (Malcolm X e O Plano Perfeito) ao longa. Em entrevista ao jornal inglês The Guardian, ele classificou como “irresponsável” o fato de Lee ter criticado Django Livre sem vê-lo.

Em dezembro, Spike Lee declarou ao site Vibe: “Eu não vou falar sobre o filme, porque eu não o verei. Tudo o que posso dizer é que assistir ao filme seria desrespeitoso aos meus ancestrais”, afirmou. Depois, escreveu em seu Twitter, “A escravidão nos Estados Unidos não é um western spaghetti de Sergio Leone. Foi um holocausto”.

Jamie Foxx, por sua vez, respondeu as críticas, por meio de uma entrevista ao The Guardian. “Ele não gostava de Whoopi Goldberg, ele não gosta de Tyler Perry, ele não gosta de ninguém”, disse. “Eu respeito o Spike Lee. Ele é um diretor fantástico. Mas ele é meio desonesto quando atira em colegassem ver o trabalho deles. Para mim, isso é irresponsável”, acrescentou.

Em Django Livre, Jamie Foxx vive um escravo que perde a mulher para o mercado de escravos e, desde então, faz de tudo para recuperá-la. Para isso, ele se une ao caçador de recompensas Dr. King Schultz (Christoph Waltz) e confronta Calvin Candle (Leonardo DiCaprio), um cruel proprietário de terras que mantém Brohmilda em sua fazenda. O filme está em cartaz no Brasil desde a última sexta-feira (18).

Sem mais artigos