Que a justiça brasileira é lenta todo mundo sabe, mas desta vez chega a ser cômico: o Diário Oficial da União de quarta (28) trouxe um despacho, com data de 19 de julho, proibindo que a novela Tempos Modernos, da Rede Globo, fosse exibida às 19 horas. Mas o detalhe é que o último capítulo tinha ido ao ar três dias antes.

A justificativa do documento, assinado pela diretora-adjunta do departamento de classificação indicativa, Anna Paula Uchôa de Abreu Branco, é de que Tempos Modernos apresentava “inadequações, como premeditação, tentativas e execuções de assassinatos e agressão física”, além de pontuais “conteúdos sexuais”, conteúdo considerado impróprio para menores de 12 anos. Por isso, não poderia ser exibida antes das 20 horas.

Mas pelo menos o despacho – assinado no dia da estreia da substituta Ti-Ti-Ti – não foi totalmente perdido. A reclassificação pode atrapalhar caso a Globo decida um dia reprisar a novela no Vale a Pena Ver de Novo. Numa situação dessas, a trama teria que sofrer cortes e ser reeditada, como aconteceu recentemente com Senhora do Destino.

Ministério da Justiça proíbe exibição de novela que já acabou

Sem mais artigos