Mortos que retornam, máquinas com vontade própria, criaturas malignas de diversos tipos e fenômenos paranormais. De preferência aterrorizando pequenas e pacatas cidadezinhas americanas. Tudo isso e muito mais já serviu de matéria-prima para o grande mestre do horror e ficção fantástica da literatura, Stephen King.

Desde muito cedo o autor – que completa 62 anos nesta terça (21) – mostrava uma atração pelo mórbido, violento e sobrenatural. Mas levou um bom tempo até que ele percebesse que poderia realmente viver disso.

Diz a lenda que ele teria jogado no lixo seu primeiro manuscrito, que foi resgatado por sua esposa, Tabitha. A história de uma certa Carrie, a moça com poderes psíquicos que decide se vingar de quem a humilhou, foi vendida por apenas US$ 2.500 dólares, mas anos depois acabou rendendo quase meio milhão de dólares em direitos autorais.

Dois anos depois do livro, Carrie se transformou em um filme, dirigido por Brian de Palma. Com duas indicações ao Oscar e um estrondoso sucesso, a produção deu início à longa e bem sucedida parceria entre a literatura de King e o cinema.

A maioria dos seus quase 50 romances e diversos outros contos já foram adaptados e caíram na mão de diretores renomados, como David Cronemberg e Stanley Kubrick. Além disso, atores do calibre de Jack Nicholson já ajudaram a transformar personagens criados por ele em ícones do terror também nas telas.

Mas acreditar que ele se limita a histórias que assustam seria injusto. King também já se mostrou – e mais de uma vez – capaz de escrever histórias repletas de sensibilidade. Alguém menos informado, por exemplo, poderia até nem acreditar que o comovente Um Sonho de Liberdade foi inspirado em um conto seu.

Para marcar o 62º aniversário do autor, o Virgula preparou uma galeria com algumas das mais marcantes adaptações de sua obra para o cinema. Uma escolha bastante difícil, por sinal.

No aniversário de Stephen King, lembre as principais adaptações de sua obra para o cinema

Sem mais artigos