No dia 14 de agosto de 1989, 25 anos atrás, o Mega Drive era lançado nos Estados Unidos. O videogame da Sega marcou uma geração que cresceu jogando Sonic, Streets of Rage e Golden Axe, clássicos do console. Para comemorar a data, relembramos aqui os 20 melhores jogos de Mega (ou Genesis, como era chamados nos EUA).

20. Quackshot – Protagonizado pelo Pato Donald, Quackshot era um jogo incrível, pois era longo, o que dava a certeza que a diversão não acabaria tão cedo, e cheio de desafios, com um mapa complexo e inimigos bem difíceis.

19. Wonder Boy in Monster World – Um dos melhores RPGs da era 16-bit, Wonder Boy in Monster World ficou mais conhecido no Brasil como Mônica no Castelo do Dragão. No lugar do Wonder Boy, você era a Mônica, e ao longo da sua jornada encontrava o resto da turma. Um jogo muito bom, tanto na sua versão original, quanto o “remake”.

18. TMNT: The Hyperstone Heist – Não é o jogo das Tartarugas Ninjas mais incrível de todos os tempos (esse título talvez vá para o Turtles in Time, de Super Nintendo), mas The Hyperstone Heist não fazia feio e certamente é um dos jogos mais lembrados da franquia.

17. Castle of Ilusion Starring Mickey Mouse – A Sega fez muitos jogos com o personagem principal da Disney, mas o mais charmoso de todos certamente é Castle of Illusion. Cenários surreais, como uma “fase dos brinquedos” e uma “fase dos doces”, ajudavam a compôr um game de jogabilidade perfeita.

16. Comix Zone – O protagonista era um desenhista meio grunge de uma história em quadrinhos que acabava entrando dentro da própria historinha. A partir daí você tem um dos melhores games de todos os tempos.

15. Sonic the Hedgehog – O jogo que vendeu o Mega Drive para o mundo e também nos apresentou um dos personagens mais icônicos da história dos videogames. Um clássico que nunca envelheceu e é divertido até hoje.

14. Streets of Rage – A versão original do clássico de beat´em up. Porrada pelas ruas da cidade, pelas praias e em elevadores até encontrar o chefão da máfia. E ainda tinha uma trilha sonora que era um belíssimo plágio do disco Dreamland, do Black Box.

 

13. Michael Jackson´s Moonwalker – Só por ser um jogo que coloca o Michael Jackson como protagonista, Moonwalker já merece estar nessa lista. Pela primeira vez a gente podia jogar com um popstar. O game não é perfeito (é meio redundante em várias partes), mas no geral é muito bom. E ainda por cima você joga escutando as músicas do Michael. Melhor maneira possível de jogar qualquer coisa.

12. Aladdin – A Sega sempre mandou bem nos jogos inspirados em filmes da Disney, mas atingiu a perfeição em Aladdin. A jogabilidade é perfeita, os cenários são lindos e o desafio é espetacular. Os gráficos eram impressionantes para a época e muito parecidos com o próprio filme.

11. Road Rash 3 – Por causa de games como Road Rash que o Mega Drive sempre foi considerado um console mais “adulto” do que o Super Nintendo. Um racha de motos invocadas pelas ruas de cidades aleatórias, no qual você usa armas, como um taco de baseball e correntes para derrubar os adversários.

10. Mortal Kombat 3 – A gente adorava Street Fighter. Até aparecer Mortal Kombat. Muito mais sinistro, sangrento e menos cartunesco (com atores de verdade interpretando os personagens). Mortal Kombat 3 foi o ápice da série no Mega Drive. Os melhores lutadores, os melhores fatalitys e a melhor trilha sonora. Clássico absoluto.

9. Revenge of Shinobi – Um dos maiores clássicos do Mega Drive, a franquia Shinobi deixou vários jogos muito bons para o console. Revenge of Shinobi é o primeiro de todos, mas já mostrava porque os jogos com o ninja seriam tão viciantes.

8. Gunstar Heroes – Uma espécie de Contra, mas com personagens e cenários mais coloridos e cartunescos. Um grande diferencial desse game é que você podia combinar armas e criar uma nova.

7. Golden Axe 2 – O jogo responsável por trazer a magia do fliperama para o Mega Drive. Uma ventura na qual você podia controlar um bárbaro, um anão ou uma amazona.

6. Contra: Hard Corps – Os jogos da série Contra ficaram famosos nos consoles da Nintendo, mas talvez o melhor deles esteja no Mega Drive. Contra: Hard Corps é tiro pra todo lado, desafios malucos a cada fase e jogabilidade perfeita para horas e horas de diversão.

5. NBA Jam – O Mega Drive sempre foi famoso por dominar o mercado dos games de esportes enquanto brigava com o Super Nintendo. NBA Jam (que também tem a sua versão no SNES) é um belo exemplo de jogo de basquete divertido. Você seleciona qualquer time da NBA e entra em quadra com dois jogadores, empurra os adversários e enterra bolas pegando fogo. Ótimo para jogar com um amigo, mas mesmo contra o computador é diversão garantida por horas.

4. X-Men 2: Clone Wars – Não é ousadia dizer que este é o melhor game envolvendo a franquia X-Men de todos os tempos. O desafio em cada fase era completamente diferente e você ainda tinha a opção de escolher vários mutantes diferentes para controlar (Wolverine, Psylocke, Noturno, Cyclope, Gambit, Fera e até o Magneto!) e cada um com poderes especiais diferentes. No mínimo viciante.

3. Streets of Rage 2 – Para muitos, esse é o melhor beat´em up (jogo focado no combate corpo a corpo contra múltiplos inimigos) de todos os tempos. Sair pelas ruas destruindo punks, motoqueiros e dominatrixes nunca foi tão divertido e a trilha sonora genial colocava house music pra deixar todo mundo bem pilhado.

2. Toejam & Earl – Dois alienígenas funkeiros explorando a Terra em busca dos pedaços de uma nave especial que vai levar eles de volta para o seu planeta. Essa ideia simples, porém genial, criou provavelmente os personagens mais carismáticos do Mega Drive (talvez só mesmo o Sonic supere). A trilha sonora inspirada em Herbie Hancock, as fases enigmáticas que nunca se repetiam e o modo de cooperação (para jogar com um amigo) são ingredientes que transformam esse jogo numa verdadeira obra-prima.

1. Sonic the Hedgehog 2 – Um caso clássico de continuação que supera o game original. Sonic 2 é mais rápido do que o primeiro, as fases são maiores e mais elaboradas e o jogo é melhor em geral. Além disso, há a trilha sonora inesquecível, que até hoje toca automaticamente na nossa cabeça toda vez que vemos uma imagem do porco-espinho azul.

Sem mais artigos