O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, afirmou nesse sábado (25) que Ronaldo, membro do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo, marcou um “gol contra” ao criticar duramente os atrasos nas obras e dizer que se sentia “envergonhado” pela organização do torneio.

“A frase dita pelo Ronaldo, tomada de forma isolada, é um chute contra o próprio gol, já que ele foi parte do grande esforço para construir a Copa do Mundo”, disse Rebelo no site do Ministério de Esportes.

Para Rebelo, “não só o Ronaldo, mas todos os brasileiros e turistas estrangeiros que vierem nos visitar terão orgulho, e não vergonha”.

Por sua vez, em discurso no 17º Congresso da União da Juventude Socialista, a presidente Dilma Rousseff defendeu a organização do Mundial, mas não fez menção às declarações de Ronaldo.

“Tenho orgulho das nossas realizações, não temos do que nos envergonhar e não temos o complexo de vira-latas, tão bem caracterizado por Nelson Rodrigues se referindo aos eternos pessimistas de sempre”, declarou a presidente.

Sem mais artigos