O ex-jogador italiano Massimo Carrera, que teve passagens por Juventus, Napoli e Atalanta e que atualmente trabalha nas categorias de base do clube de Turim, se envolveu em um acidente automobilístico no último sábado que causou a morte de duas estudantes e agora está sob investigação por homicídio culposo.

Segundo informações publicadas nesta segunda-feira pela imprensa italiana, Carrera atingiu com seu automóvel, um Mercedes Classe R, na estrada entre Milão e Bérgamo, um Ford Ka em que estavam as duas jovens.

O Ford Ka estava parado na estrada após ter sofrido, pouco antes, um pequeno acidente e, na sequência, um outro choque de baixa intensidade, até sofrer o forte impacto do carro conduzido pelo ex-jogador.

Chiara Varani e Patrizia Paninforni morreram, enquanto uma terceira menina, não identificada, sobreviveu ao ter saído do automóvel antes da colisão.

Em declarações à Polícia, Carrera assegurou que não viu o veículo acidentado e parado no meio da estrada já que quase não havia iluminação e o acidente não havia sido sinalizado.

Além disso, o funcionário da Juventus garantiu que não estava em alta velocidade, mas que mesmo assim não pôde fazer nada para evitar a colisão com o Ford Ka.

No carro do atleta também viajavam sua esposa, sua filha de 15 anos e quatro amigas dela, que sofreram ferimentos de diferentes gravidades. Quem se encontra em estado mais grave é a esposa de Carrera, que sofreu a amputação parcial de três dedos e que permanecerá por um mês no hospital.

Na investigação, a Polícia conta com as imagens registradas por uma câmera de segurança e com a velocidade exata dos veículos graças a um radar próximo.

Os testes de taxa de álcool no sangue apontaram que um dos motoristas que acertou o Ford Ka antes de Carrera estava acima do limite permitido, enquanto o outro se encontrava dentro do que é permitido na Itália.

Sem mais artigos