Poucos dias após se desentenderem duramente com Diego Maradona, o secretário técnico das seleções argentinas de futebol, Carlos Bilardo, abriu neste domingo uma porta para que o treinador retorne à equipe principal.

“Se Diego quer e fala não sei o que pode acontecer. Tudo é questão de falar”, assegurou Bilardo em declarações ao canal de televisão “Todo Noticias”.

“Minha função é propor às pessoas que podem trabalhar e depois a Associação do Futebol Argentino (AFA) decide. Eu o propus a Diego então o acompanho no que ele quiser. Mas ainda não se falou com ninguém nem se nomeou ninguém”, comentou Bilardo.

Uma fonte próxima a Maradona citada pela agência estatal “Télam” não descartou hoje a possibilidade de que o astro retorne a seu cargo de técnico argentino.

“A verdade é que pareceria impossível, mas não se deve descartar que Diego possa continuar sendo o treinador da seleção argentina”, disse.

Mais cético foi um integrante do Comitê Executivo da AFA, para quem “não há chances” de que Maradona possa continuar como técnico nacional.

Na terça-feira passada, a AFA anunciou que não renovaria o contrato de Maradona, que um dia depois sentenciou que o presidente da entidade, Julio Grondona, o tinha mentido e que Bilardo o tinha traído.

Bilardo negou ter traído o astro e questionou o entorno do técnico, ao assinalar que “não se pode levar os amigos para o trabalho”.

Após confusão, Bilardo abre porta para retorno de Maradona como técnico

Sem mais artigos
Sair da versão mobile