Durante a coletiva que apresentou os finalistas e a bola personalizada que será utilizada na decisão do Paulistão 2011, o clima esquentou ao se tocar no tema arbitragem.

Após pergunta feita pelo repórter Jovem Pan Luis Carlos Quartarollo sobre o sorteio de árbitros aos presidentes de Corinthians e Santos, Andrés Sanchez e Luiz Álvaro Ribeiro, o mandatário da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo Del Nero, perdeu a linha.

Mostrando-se inconformado com a questão a respeito da matéria veiculada pelo Jornal da Tarde dando conta de que o árbitro da semifinal entre Palmeiras e Corinthians seria Paulo César de Oliveira (como de fato foi) e com a afirmação de que o sorteio está sob suspeita, o Del Nero interrompeu o questionamento do repórter e, de maneira ríspida, tentou defender a entidade, afirmando que o sorteio não está sob suspeita, antes de afirmar que a imprensa “vivia em outro planeta”, pois “ele vivia no mundo da honestidade”, ressaltando que é o sorteio é “jogo honesto, limpo”.

Ele ainda citou a matéria: “esse (repórter do Jornal da Tarde Luiz Antônio) Prósperi adivinhou”, duvidando da veracidade da informação do jornalista. Ainda sobre a matéria, Andrés Sanchez refutou ter “escolhido” o árbitro, como estava descrito na publicação: “eu nem sabia quem era”, ressaltou.

Sem mais artigos