Um tribunal de Cingapura declarou nesta segunda-feira (10) culpados três árbitros de futebol de nacionalidade libanesa por participação na manipulação de resultados em uma partida da Copa da Confederação Asiática (AFC), que foi feita em troca de serviços sexuais concedidos por um grupo internacional de apostas ilegais.

Apesar disso, os bandeirinhas Ali Eid e Taleb Abdallah podem ser libertados hoje ou amanhã devido ao atenuante de boa conduta durante os três meses em que já passaram na prisão.

A condenação final para o líder do esquema, Ali Sabbagh, será lida amanhã, informou o jornal “The Straits Times”.

Segundo a sentença emitida hoje, Ali Sabbagh fez os contatos com o grupo de apostas e convenceu seus dois colegas a aceitar favores sexuais em troca da manipulação de uma partida da Copa AFC (segundo torneio de clubes mais importante da Ásia), disputada em 3 de abril entre o Tampines Rovers, de Cingapura, e o East Bengal, da Índia.

Antes do início do jogo, a polícia de Cingapura prendeu os árbitros, que ficaram detidos na penitenciária de Changi após terem negado pedido de pagamento de fiança.

O encarregado de recrutar as mulheres para os juízes, Eric Ding Si Yang, proprietário de um prostíbulo, responde por três acusações de corrupção e se encontra em liberdade após pagar uma fiança de US$ 120.000.

No começo do ano foi revelada a existência de uma organização com sede em Cingapura envolvida na manipulação de jogos de futebol no mundo todo.

Segundo a Fifa, a manipulação foi comprovada nos resultados de pelo menos 150 partidas, com operações “comandadas de Cingapura”, em competições como a Liga dos Campeões e vários campeonatos europeus.

Árbitros são declarados culpados em Cingapura por aceitar subornos sexuais

Sem mais artigos