O atacante Mario Balotelli foi alvo de ofensas racistas nesta quarta-feira, enquanto treinava com a seleção italiana na cidade de Coverciano, na região central do país, local onde os tetracampeões se preparam para a disputa da Copa do Mundo.

O atleta do Milan corria com os companheiros quando xingamentos foram ouvidos fora do centro de treinamento. Em seguida, o jogador se aproximou do técnico Cesare Prandelli e sorriu ironicamente.

Um grupo de seguranças percorreu o entorno das instalações de Coverciano, e conseguiu identificar três jovens, que foram apontados como autores das ofensas a Balotelli.

“Inacreditável, só em Roma e Florença essas coisas acontecem”, teria dito o jogador aos companheiros logo depois do incidente, publica a Gazzetta dello Sport.

Ao mesmo tempo em que foi atacado por causa da cor de sua pele, Super Mario, como Balotelli é conhecido, foi ovacionado um grupo de crianças que foi convidado para acompanhar as atividades da arquibancada.

Depois do treino de hoje, o presidente da Federação Italiana de Futebol, Giancarlo Spruce, condenou o ato racista, mas não indicou nenhuma medida, nem se os indivíduos identificados foram encaminhados às autoridades.

“É um comportamento inaceitável de pessoas que não deveriam estar ali. O gesto deles demonstra um baixo nível”, afirmou o dirigente.

O técnico da ‘Azzurra’, Cesare Prandelli, por sua vez, minimizou a polêmica em entrevista coletiva, afirmando que ouviu apenas cantos e gritos de apoio aos jogadores no centro de treinamento.

Sem mais artigos