O kaiser do futebol alemão, Franz Beckenbauer, já descartou a hipótese de substituir no cargo o presidente da federação alemã (DFB), Theo Zwanziger, que hoje deverá responder a perguntas sobre os casos de assédio sexual do ex-árbitro Manfred Amerell contra vários colegas.

“Certamente, foram cometidos erros. Talvez, (o caso) deveria ter sido imediatamente levado à Promotoria (…). Mas, nem por um segundo, me passou pela cabeça ser presidente da DFB”, afirmou Beckenbauer à edição de hoje do jornal “Bild”.

Na reportagem, o kaiser ratificou seu total apoio a Zwanziger, cuja gestão foi colocada em xeque por ter demorado a tomar uma decisão em relação ao assédio de Amerell a companheiros de profissão.

Amerell, de 62 anos, se demitiu há algumas semanas, acusado de ter assediado sexualmente vários colegas.

Na semana passada, a DFB chegou a um acordo extrajudicial para evitar que o caso fosse levado à Justiça.

Sem mais artigos