David Beckham não poderá jogar gratuitamente no Paris Saint-Germain e doar o que seria seu salário a uma associação caridosa e será obrigado a receber, pelo menos, um salário de 2,2 mil euros por mês, informou neste sábado o jornal “Le Parisien”.

“Para ter uma licença que lhe autorize a praticar o futebol deve ter um contrato de pelo menos 2,2 mil euros mensais”, explicou ao jornal a União Francesa de Jogadores Profissionais (UNFP).

Uma vez que só defenderá o Paris Saint-Germain por cinco meses, até o próximo mês de junho, o inglês somará um total de 11 mil euros, o que lhe eximirá de pagar impostos sobre essa remuneração.

O jornal, que calcula que o inglês arrecada 35 milhões de euros por ano, assinala também que precisamente o fisco é um dos motivos que permitiram que Beckham chegasse a Paris agora e não há um ano, na primeira tentativa do PSG de contratá-lo.

“Instalando-se na França no ano passado, a família Beckham teria pagado vários milhões de euros de impostos”, informou o “Le Parisien”, que lembra que o ex-jogador do Manchester United e do Real Madrid seria obrigado a pagar mais de 50% de sua receita e o imposto sobre o patrimônio.

No entanto, agora o inglês não cumpre nenhuma das condições para ficar submetido ao fisco francês, tais como residir na França um mínimo anual de seis meses e um dia, ou ter nesse país seu domicílio fiscal ou transferir a terras francesas as sedes de suas empresas.

O único ponto discutível, segundo o jornal, é a condição de exercer uma atividade profissional “remunerada ou não”.

Beckham terá que receber salário mínimo obrigatório de 2,2 mil euros no PSG

Sem mais artigos