A Bélgica garantiu seu retorno ao Grupo Mundial da Copa Davis de tênis neste sábado, após dois anos de ausência, ao derrotar a Suécia por 3 a 0 no confronto válido pela repescagem e disputado em Bruxelas, enquanto a Suíça, com Roger Federer, permitiu que a Holanda marcasse seu primeiro ponto.

No Royal Primerose Tennis Club, na capital belga, a equipe da casa obteve o terceiro ponto graças a Ruben Bemelmans e Olivier Rochus, que bateram Johan Brunstrom e Michael Ryderstedt por 3 sets 1 nas duplas, com parciais de 6-4, 4-6, 6-3 e 6-2.

Assim como a Bélgica diante da Suécia, a Suíça abriu 2 a 0 contra a Holanda, jogando em Amsterdã. No entanto, Roger Federer e Stanislas Wawrinka perderam por 3 a 1 para Jean-Julien Rojer e Robin Haase, com parciais de 6-4, 6-2, 5-7 e 6-3.

Em Nápoles, a Itália poderia ter se garantido na elite já neste sábado, mas perdeu para o Chile e por isso dependerá de uma vitória em um dos dois jogos de simples neste domingo. Neste sábado, Paul Capdeville e Jorge Aguilar venceram Daniele Bracciali e Andreas Seppi também por, com parciais de 6-4, 4-6, 6-4 e 6-2.

Em um duelo bastante equilibrado, os australianos Chris Guccione e Lleyton Hewitt colocaram seu país em vantagem contra a Alemanha ao derrotarem Benjamin Becker e Philipp Petzschner por 3 a 1, com parciais de 6-3, 6-2, 2-6 e 7-6(4).

O Japão, por sua vez, sofreu o primeiro ponto de Israel graças ao triunfo de Jonathan Erlich e Andy Ram sobre Tatsuma Ito e Yuichi Sugita.

REPÚBLICA TCHECA BATE ARGENTINA

Mesmo jogando no saibro do estádio Mary Terán de Weiss, em Buenos Aires, Tomas Berdych e Radek Stepanek venceram Carlos Berlocq e Eduardo Schwank por 3 sets a 0, com parciais de 6-3, 6-4 e 6-3, e colocaram a República Tcheca em vantagem de 2 a 1 no duelo diante da Argentina pelas semifinais da Copa Davis.

A situação da equipe da casa, que já é delicada apenas pelo placar em si, pode se tornar ainda pior, já que Juan Martín del Potro, melhor tenista do país na atualidade, pode ser desfalque nas partidas de simples neste domingo. Se jogar, o número seis do mundo terá pela frente Berdych, que está em sétimo lugar na lista.

Os argentinos sucumbiram à maior experiência da dupla tcheca e principalmente ao bom momento vivido por Berdych, que na última semana chegou às semifinais do US Open.

O capitão da equipe visitante, Jaroslav Navratil surpreendeu ao escalar atletas mais tarimbados, já que havia anunciado na última sexta-feira que optaria por Ivo Minar e Lukas Rosol.

A derrota fez ser derrubada uma marca favorável à Argentina: desde a final de 2008, em que perdeu para a Espanha, que o país não virava um sábado de Davis atrás no placar. Se for eliminada pela República Tcheca neste domingo, a equipe ainda verá cair sua invencibilidade no Mary Terán de Weiss, onde jogou nove vezes e nunca perdeu. 

Sem mais artigos