O futuro da Seleção Brasileira após a Copa do Mundo de 2014, independente do seu resultado no Mundial, segue incerto. A permanência de Luiz Felipe Scolari no comando é uma incógnita, assim como os nomes de possíveis substitutos. Vivendo um bom momento no comando do Internacional, o técnico Abel Braga reconhece que um convite da CBF seria algo irrecusável, mas a possibilidade não o deixa ansioso.

“Claro (que aceitaria). Como qualquer outro (treinador). Mas não é algo que me tire o sono, que me torne ansioso (…)”, afirmou Abel, que divida suas atenções com Tite e Muricy Ramalho, acrescentando que fica satisfeito por ter o nome citado como um candidato ao posto.

“É positivo (ter o nome lembrado). O reconhecimento é tudo. É bem gratificante. Não tenha dúvida (que é um sonho) que qualquer técnico tem. O Tite é um cara consagrado. O Muricy ganhou muito também. Estará muito bem entregue. Se o Felipão sair né. Vamos pensar no Felipão primeiro”, completou o técnico do Colorado durante o programa “Bem, Amigos!”, do canal SporTV, na noite da última segunda-feira (02).

Abel também fez sua aposta sobre quem é o maior favorito ao título da Copa do Mundo de 2014 e se disse decepcionado com a equipe ele considerava a maior adversário do Brasil.

“A minha ansiedade aumentou em relação à Seleção. A maior favorita para mim, com índice elevado em relação às demais, era a Alemanha. Mas estou decepcionando com o que a Alemanha está jogando. Vi o jogo contra Camarões, fiquei apavorado. Parece que desaprenderam. Não gostei. Não está dando liga. O Eto’o chegou a dar elástico dentro da área”, finalizou.

Sem mais artigos