Um dos maiores nomes do futebol brasileiro de todos os tempos, o ex-lateral direito Djalma Santos, bicampeão mundial com a seleção brasileira e ídolo de times como Portuguesa, Palmeiras e Atlético-PR, morreu na noite desta terça-feira (23), aos 84 anos, em Uberaba, Minas Gerais.

Internado no hospital Doutor Helio Angotti desde o dia 1º de julho depois de apresentar um quadro de insuficiência respiratória e pneumonia, Djalma apresentou no período da tarde deste terça um comprometimento da função renal.

Revelado pela Portuguesa em 1948, Djalma Santos se arriscou em posições como volante e meia, mas foi mesmo na lateral direita que ele despontou e fez sucesso no Palmeiras por nove ano.

Presente em quatro Copas dos Mundo com a Seleção Brasileira, conquistando-as em 1958 e 1962, Djalma tem como um de seus principais mérito o feito de nunca ter sido expulso de uma partida oficial.

Além das conquistas pela seleção, o ex-lateral ainda coleciona os dois títulos do prestigiado Torneio Rio-São Paulo, em 1952 e1955, pela Portuguesa, duas Taças Brasil (1960 e 1967), um torneio Roberto Gomes Pedrosa (1967), um Rio-São Paulo (1965) e três Paulistas (1959, 1963 e 1966), com a camisa do Palmeiras.

Já no Atlético-PR, onde jogou seus dois últimos anos de sua carreira, o craque ganhou seu último título, o Paranaense, em 1970, aos 41 anos. Sua despedida da equipe aconteceu um ano depois, em um amistoso no dia 21 de janeiro de 1971.

Bicampeão mundial com a Seleção Brasileira, Djalma Santos morre em Uberaba

Sem mais artigos