O Hospital Pasteur, na Zona Norte do Rio de Janeiro, emitiu boletim médico no fim da manhã desta segunda-feira e trouxe boas notícias em relação ao quadro de saúde de Ricardo Gomes. O técnico vascaíno apresentou significativa melhora e teve afastada qualquer possibilidade de aneurisma e má formação. De qualquer forma, seu quadro permanece grave.

Os resultados foram apontados a partir de uma angiotomografia cerebral, exame que permite visualização tridimensional sem intervenção no paciente. Segundo o neurocirurgião José Antônio Guasti, responsável pela operação do treinador após o AVC hemorrágico sofrido no último domingo, só não é possível calcular a possibilidade de Ricardo não apresentar nenhuma sequela. 

“Não existe prazo. Essas 72 horas são matemáticas, mas pode durar um pouco mais ou um pouco menos. Vamos avaliando aos poucos para saber quando tirar a medicação (sedação). Nesse momento descartamos a possibilidade de uma nova cirurgia, mas ainda é muito cedo para dizer se ele vai voltar a trabalhar. A nossa preocupação é com a vida do Ricardo”, comentou o cirurgião.

Leia o boletim na íntegra:

Durante a coletiva de imprensa, realizada hoje (30), às 10h, o diretor geral do Hospital Pasteur, Ricardo Periard, o médico clínico Fabio Miranda e o neurocirurgião José Antônio Guasti, informaram que o paciente Ricardo Gomes foi submetido a uma angiotomografia computadoriza, um exame que mapeia os vasos sanguíneos cerebral, onde o resultado evidenciou a ausência de um aneurisma cerebral.

“Esse resultado é bastante satisfatório. Isso sinaliza que possivelmente não haverá necessidade de uma nova intervenção cirúrgica no momento”, esclareceu o dr. José Guasti.

Já em relação à retirada da sedação, o dr. Fabio Miranda informou que “não existe um prazo definido. Esse tempo de 72 horas para a retirada da sedação não é uma questão matemática. Na realidade essas primeiras horas são críticas para avaliar e definir as condutas terapêuticas, que serão adotas diariamente”.

Apesar de permanecer grave, o paciente está com todas as suas funções orgânicas dentro da normalidade. Ele encontra-se estável, porém sedado, respirando sob auxílio de aparelhos.

“Todo o trabalho das equipes do Hospital Pasteur está voltado para a manutenção da vida do paciente. O fato dele estar estável significa uma vitória a cada dia”, enfatizou dr. Ricardo Periard.

Boletim médico aponta melhora de Ricardo Gomes

Sem mais artigos