O Olympique de Marselha não renovou o empréstimo do brasileiro Brandão, de 31 anos, que no último ano defendeu as cores do Cruzeiro e do Grêmio Porto-Alegrense, e o atleta voltará a França, informou nesta segunda-feira o jornal francês L’Équipe.

Colocado em “exílio forçado” depois de ser acusado de estuprar uma jovem, o atacante cobriria a lacuna deixada pela ausência de Ayew, que disputará a Copa da África, e André-Pierre, que está lesionado.

Trata-se da opção que o técnico Didier Deschamps pode contar, pois não dispõe de dinheiro em caixa para contratar.

Deschamps, que acaba de concentrar a equipe durante dois dias na localidade espanhola de Perlada (Astúrias), considera o brasileiro um jogador “poderoso e trabalhador”, um atleta que tem ainda a vantagem de ser “um perfeito conhecedor do contexto local”, pois chegou a Marselha em 2009.

“Tudo está acertado. Vou voltar a Marselha. Estou feliz por retornar”, confirmou Brandão ao jornal, prestes a fechar um ano de sua primeira saída do clube.

Resta saber quanto tempo Brandão ficará em Marselha, que poderia inclusive disputar o próximo jogo contra o Lille pelo Campeonato Francês.

Se o rendimento do jogador satisfizer o treinador e a direção, ele poderia permanecer no clube francês até acabar seu contrato, com o salário de 180 mil euros brutos ao mês.

Se o retorno não alcançar o resultado esperado, ele se incorporaria ao clube francês só por dois meses, o tempo de ausência de Ayew, e depois o clube poderia negociá-lo com a Rússia, onde o jogador poderia ter interesse em jogar e cujo mercado de inverno termina em março. Brandão passou seis anos na Ucrânia (2002-2008) nas fileiras do Shakhtar Donetsk, antes de aterrissar na França.

Em março, uma jovem de 23 anos que Brandão conheceu em uma discoteca o acusou de estupro. Segundo a denunciante, o jogador a estuprou em seu carro em uma saída da estrada, enquanto o jogador sustenta que mantiveram relações sexuais consentidas.

Sem mais artigos