O Governo aceitou nessa quinta-feira (8) o pedido de desculpas da Fifa depois do mal-entendido causado por declarações consideradas ofensivas do secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, pelos atrasos nas obras para a Copa do Mundo de 2014.

Em duas cartas, uma dirigida a Valcke e outra ao presidente da Fifa, Joseph Blatter, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, afirmou que o Governo aceitava o pedido de desculpas formulado por ambos os dirigentes após a confusão na semana passada, que causou mal-estar entre as autoridades do país.

Na última sexta-feira, Valcke criticou em Londres a lentidão dos trabalhos de infraestrutura para a Copa e disse que o Brasil deveria receber “um pontapé no traseiro” para começar a levar a sério os preparativos, situação que provocou uma forte reação dos políticos brasileiros.

No sábado, Rebelo disse em entrevista coletiva que o Governo não reconheceria mais Valcke como interlocutor para os assuntos relacionados à Copa, reiterando isto na segunda-feira ao enviar uma carta a Blatter.

Tanto o presidente da Fifa quanto o secretário-geral enviaram na segunda-feira correspondências pedindo desculpas pelo ocorrido.

Em um ofício enviado nesta quinta-feira a Valcke, Rebelo afirmou: “Em atenção a sua correspondência do dia 5 de março de 2012, comunico a vossa senhoria, em nome do Governo brasileiro, que suas desculpas foram aceitas”.

Na carta dirigida a Blatter, um pouco mais extensa, Rebelo afirma que a presidente Dilma Rousseff receberá em audiência o líder da principal entidade do futebol mundial, “em data a ser definida”.

“Reafirmo a posição do Governo brasileiro, de que episódios como este não podem se repetir, em prol de uma boa preparação da Copa do Mundo”, destaca a nota.

O incidente fez com que várias autoridades brasileiras se posicionassem contra Valcke, como o assessor de Relações Exteriores da Presidência, Marco Aurélio Garcia, que em uma recente visita à Alemanha, chamou o secretário de “vagabundo”. No entanto, apesar do mal-estar, Valcke foi apoiado por importantes figuras do futebol brasileiro.

Ronaldo, maior artilheiro na história das Copas do Mundo e membro do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014, afirmou que as críticas do secretário à organização do torneio são válidas, apesar do mal-entendido.

O deputado e ex-atacante Romário chamou Valcke de mal-educado em sua conta no Twitter, mas, da mesma forma que Ronaldo, admitiu que o dirigente da Fifa tinha razão em reivindicar os atrasos na organização do Mundial.

Brasil aceita desculpas da Fifa e encerra polêmica com Valcke

Sem mais artigos