Em seu retorno às Olimpíadas após 16 anos, a seleção brasileira de basquete masculino cometeu muitos erros, foi pressionada por um adversário eficiente e sofreu mais do que o esperado. Mas, a vitória foi conquistada. O Brasil venceu a Austrália neste domingo por 75 a 71 em sua estreia nos Jogos de Londres.

O ala-armador Leandrinho foi o cestinha do Brasil, com 16 pontos. Também se destacaram o armador Marcelinho Huertas, que fez 15 pontos e deu 10 assistências, o ala-pivô Anderson Varejão (12 pontos e 7 rebotes) e o pivô Nenê (10 pontos).

O principal pontuador do jogo foi o “baixinho” armador australiano Patrick Mills, de 1m80, que deu muito trabalho à defesa brasileira e anotou 18 pontos.

Apontada por técnicos e jogadores de seleções de peso, como Estados Unidos e Espanha, como uma das candidatas a medalha nos Jogos Olímpicos, o Brasil começou mal a partida, demonstrando nervosismo e se precipitando em decisões de jogadas. A Austrália soube se aproveitar dos erros dos comandados de Ruben Magnano e terminou o primeiro quarto na liderança por um ponto de diferença (20 a 19).

No quarto seguinte, o jogo continuou equilibrado, e a seleção brasileira não conseguia deslanchar e mostrar o mesmo aproveitamento que teve contra a mesma Austrália há duas semanas, quando venceu a equipe da Oceania por 87 a 71 em um amistoso. A partida foi para o intervalo com vantagem de um ponto para o Brasil (36 a 35), que venceu o quarto por 17 a 15.

Depois do intervalo, os brasileiros voltaram para a quadra com uma atitude mais agressiva e chegaram a abrir uma vantagem de 12 pontos em um lance no qual Leandrinho fez a cesta em uma infiltração no garrafão e sofreu falta. Porém, o panorama de equilíbrio logo de restabeleceu, com a diferença ficando por volta de sete pontos.

No último quarto, o Brasil deu sinais de que, mesmo com um placar nada elástico, administraria a vitória sem sufoco. Algumas decisões erradas de Marcelinho Machado e Leandrinho, no entanto, ajudaram a recolocar a Austrália na partida. Em uma cesta do ala Joe Ingles, os australianos diminuíram a diferença para apenas dois pontos (73 a 71) faltando 29 segundos, o que levou Magnano a pedir tempo para arrumar o time brasileiro. Quando o jogo recomeçou, Marcelinho Huertas sofreu falta restando cinco segundos, e converteu os dois arremessos, definindo o placar.

Na próxima terça-feira, o Brasil volta à quadra da Arena de Basquete para enfrentar o Reino Unido. O torneio olímpico de basquete masculino reserva ainda outros quatro jogos para este domingo. Pela chave do Brasil, a Espanha enfrentará a China, e a Rússia vai encarar os britânicos. Pelo grupo A, os Estados Unidos, grandes favoritos ao ouro, encaram a França, e a Argentina jogará contra a Lituânia. Na primeira partida de hoje, a Nigéria derrotou a Tunísia por 60 a 56.

O armador Marcelinho Huertas, um dos principais destaques da seleção brasileira masculina de basquete na vitória deste domingo sobre a Austrália em sua estreia nos Jogos Olímpicos, exaltou a “personalidade” dos comandados de Ruben Magnano na partida. “Com a vitória sobre a Austrália, mostramos muitas coisas, podemos lutar contra qualquer um e viemos com aspirações. A equipe mostrou isso hoje em uma partida muito complicada durante os 40 minutos”, disse Huertas.

Nos dois primeiros quartos do jogo, a seleção cometeu muitos erros e ficou atrás no placar por um longo tempo. O armador, no entanto, descartou que ele e seus companheiros estivessem nervosos. “Não houve nervosismo, mas é verdade que demorou para entrarmos na partida e tivemos muitos erros nos arremessos. Perdemos cestas fáceis, e isso nos desestabilizou um pouco, mas à base de trabalho conseguimos reverter o placar”, explicou.

Sem mais artigos