O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, anunciou neste sábado que o Governo de Dilma Rousseff não “aceita mais como interlocutor” o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, depois de ele afirmar que o país precisa “de um pontapé no traseiro” para acelerar as obras necessárias para a Copa do Mundo de 2014.

“São expressões impróprias para tratar das relações entre essa entidade e um país” e “dadas as palavras usadas”, que classificou como “ofensivas” e “inaceitáveis”, o Brasil comunicará a Fifa que não aceita Valcke como “interlocutor”, declarou Rebelo em entrevista coletiva.

Na sexta-feira em Londres, Valcke criticou a demora das obras de estádios e infraestrutura e do Congresso Nacional em aprovar a lei que regulará o próximo mundial.

Na afirmação mais polêmica, considerou que os responsáveis pela organização da Copa do Mundo no Brasil deveriam receber “um pontapé no traseiro” para “começar a trabalhar”.

Sem mais artigos