O atacante brasileiro Amauri, que obteve cidadania italiana e esperava atuar pela Azzurra na Copa do Mundo, disse entender a decisão do técnico Marcello Lippi de deixá-lo de fora do elenco que irá à Copa do Mundo.

“O passaporte chegou tarde. Não tive nem sequer a possibilidade de jogar um amistoso. Foi uma decisão justa, eu teria feito a mesma coisa que Lippi”, disse o jogador em entrevista publicada nesta terça-feira pelo jornal “La Gazzetta dello Sport”.

“Fiquei mal, mas é compreensível. Ainda não completei 30 anos. Tenho tempo pela frente para disputar uma Eurocopa e um Mundial”, acrescentou. Amauri afirmou ainda que Cesare Prandelli, que comandou a Fiorentina na última temporada, é uma boa opção para substituir Lippi como técnico da Itália.

Sem mais artigos