O zagueiro brasileiro Breno, que foi revelado pelo São Paulo e defende o Bayern de Munique desde 2008, entrou em prisão preventiva neste sábado por suspeita de ter colocado fogo na própria casa, que foi incendiada por causas não esclarecidas na semana passada.

A Promotoria de Munique ordenou a prisão por considerar que existe risco de fuga, comunicaram neste sábado as fontes do departamento.

O incêndio ocorreu na madrugada de segunda para terça-feira, quando só Breno estava em casa. Pouco depois do incidente, a mulher do jogador e os três filhos chegaram ao local, assim como seu companheiro de equipe e também brasileiro lateral Rafael.

Segundo o jornal “Süddeutsche Zeitung”, com sede em Munique, o jogador entregou três isqueiros a um membro das equipes de saúde que o atenderam, imediatamente depois do incêndio.

A Promotoria abriu investigações contra o jogador na sexta-feira, diante das suspeitas que o incêndio, que deixou a casa reduzida a cinzas, não tinha sido fortuito. Breno teve ferimentos leves e foi atendido pelos serviços de emergência.

O zagueiro do Bayern de Munique, que desde que chegou ao clube sofreu com várias lesões, poderá sair em breve após o pagamento de fiança.

O Bayern de Munique expressou na sexta-feira estranheza pelas suspeitas sobre o jogador, e não quis comentar o caso antes do resultado das investigações.

Fontes do clube expressaram, no entanto, o total apoio a Breno e a sua família, formada pela mulher Renata, o filho em comum do casal, Pietro, e outros dois de uma relação anterior dela.

Segundo o jornal popular “Bild”, a família do jogador está em um hotel. Já o jogador passou a noite anterior em uma clínica psiquiátrica para exames.

Sem mais artigos