Pentacampeão do mundo pelo Brasil, Luiz Felipe Scolari é um nome inquestionável. No entanto, os números do treinador sob o comando do Palmeiras são, e muito, questionáveis.

No Campeonato Brasileiro, o treinador tem quatro derrotas, oito empates e três vitórias, ou seja 17 pontos conquistados contra 28 perdidos em seus dois meses de Alviverde. Ou seja, com seu salário de R$ 700 mil por mês, Felipão dá um ponto a cada R$ 82,3 mil investidos pelo Palmeiras.

O arqui-rival Corinthians tem Adilson Baptista no comando recebendo cerca de R$ 320 mil por mês. Em dois meses de clube, o treinador faturou 20 pontos e perdeu 13, ou seja, R$ 16 mil a cada ponto ganho.

Enquanto isso, o rival São Paulo, com Sérgio Baresi no comando conseguiu 12 pontos contra 15 desperdiçados. Com seu salário de apenas R$ 10 mil, cada ponto são-paulino tem custado apenas R$ 833 para o bolso da diretoria tricolor.

Vice-líder do Campeonato Brasileiro, Muricy Ramalho, que treina o Fluminense desde o começo do torneio, já ganhou 41 pontos e perdeu 22. Com um salário de R$ 500, o clube gastou cerca de R$ 60 mil a cada ponto conquistado pelo comandante.

O número é parecido com o de Dorival Júnior que está no Santos desde o começo do ano. No Campeonato Brasileiro, cada ponto conquista pela equipe da Vila Belmiro custou R$ 50 mil ao clube em relação ao técnico.

Sem mais artigos