O ciclista britânico Bradley Wiggins, atual campeão do Tour de France, afirmou que após a confissão do uso de substâncias ilegais de Lance Armstrong, o que lhe preocupa não é a situação do americano e sim, o que acontece com os atletas que seguem competindo.

“Vi que o ciclismo poderia ser retirado dos Jogos Olímpicos. Seria inacreditável. Agora, o mais importante é que ainda estamos no esporte”, explicou o ciclista em entrevista publicada nesta terça-feira pelo jornal francês “L’Équipe”.

Esse foi o único momento da entrevista no qual o nome de Armstrong ou seu problema com doping foi citado. O britânico, por sua vez, garantiu que nunca utilizou qualquer substância proibida, explicando que isso faria com que ele perdesse sua família.

Logo depois da divulgação do relatório da Agência Antidoping dos Estados Unidos (USADA) sobre Armstrong, que serviu para a condenação do americano, Wiggins comentou que toda a trama não o surpreendia, afirmando que desde a era de vitórias do agora ex-campeão, o ciclismo mudou muito.

Além do título do Tour de France em 2011, Wiggins é dono de sete medalhas olímpicas, quatro de ouro, uma de prata e duas de bronze. Nos Jogos de Londres, no ano passado, o britânico subiu no lugar mais alto do pódio na prova de ciclismo de estrada contra-relógio.

Sem mais artigos