O técnico da Inglaterra, o italiano Fabio Capello, admitiu hoje que está insatisfeito com os escândalos que envolvem alguns jogadores da seleção inglesa porque teme que influam no rendimento da equipe.


 


Em entrevista à rede de televisão “CNN”, Capello lamentou ter que passar mais tempo falando da vida pessoal de seus jogadores do que de futebol e previu que sua próxima entrevista coletiva, antes do amistoso contra o Egito, em Londres, na semana que vem, será especialmente difícil.


 


“Não será fácil falar sobre o Egito na próxima entrevista coletiva. Muitas perguntas serão sobre John Terry, Wayne Bridge e outras coisas relacionadas com suas vidas particulares”, opinou o italiano.

Bridge, do Manchester City, anunciou ontem que deixaria a seleção inglesa depois do escândalo envolvendo sua ex-namorada e mãe de seu filho, Vanessa Perroncel, que teve um caso com o zagueiro John Terry, do Chelsea, na época em que os dois jogadores estavam no clube de Londres.

“Pensei muito sobre minha situação na seleção, por causa das notícias publicadas pelos jornais nas últimas semanas. Sempre foi uma honra jogar pela Inglaterra. No entanto, minha posição no time ficou insustentável, e poderá dividir o elenco. Pelo bem da equipe e para evitar problemas, decidi não servir à seleção”, explicou.

Além deste caso, que custou a Terry a braçadeira de capitão da seleção inglesa, há o recente divórcio de outro jogador do Chelsea, Ashley Cole, que supostamente traiu sua mulher, a cantora Cheryl Cole.

Capello pediu para que seus jogadores se comportem com “responsabilidade” porque “são um exemplo de vida para as crianças” e reiterou que sua mensagem aos jogadores se baseou desde o princípio no respeito às pessoas que os cercam.

“Quero respeito o tempo todo, quando estamos comendo, treinando, trabalhando, no ônibus. Sempre”, afirmou o técnico.

Sem mais artigos