Preocupado com o excesso de favoritismo depositado pela imprensa internacional e pelos adversários em cima da seleção espanhola na Copa do Mundo, o goleiro titular da Fúria, Iker Casillas, acredita que isso só pode prejudicar a equipe na briga pelo inédito título Mundial.

“As outras seleções conhecem cada vez mais o futebol da Espanha, sabem em que momentos podem nos atacar ou criar problemas. O que nós queremos é dar continuidade à nossa excelente fase”, disse o arqueiro, em entrevista ao site da Fifa.

Casillas usa a recente eliminação para os Estados Unidos, que derrotou a Fúria na Copa das Confederações do ano passado, como um exemplo claro de que nas competições internacionais não se deve indicar um franco favorito a determinada conquista.

“Já tivemos uma experiência na África do Sul e isso nos ajudará. Por exemplo, nunca tínhamos jogado em junho com frio, mas agora já vimos como é. Conhecemos o ambiente, as pessoas e os estádios e a adaptação será mais rápida. Tentaremos fazer tudo melhor do que na Copa das Confederações, mas sabemos que o Mundial vai exigir muito”, analisou o goleiro.

Além disso, o camisa um do Real Madrid e da seleção ainda lembra que a Espanha precisa primeiro passar por Suíça, Chile e Honduras, adversários da primeira fase, para assim começar a pensar em título.

“Em princípio, somos favoritos e acredito que precisamos terminar em primeiro. O nosso primeiro objetivo são os nove pontos. Os cruzamentos depois serão mais difíceis, mas se quisermos chegar à final teremos de enfrentar e derrotar os melhores”, finalizou.

Sem mais artigos