A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou neste domingo uma nota oficial considerando “legítima” a preocupação da Fifa com a organização da Copa do Mundo de Futebol em 2014, mas ressaltou o respeito ao Brasil “e aos três poderes vigentes no país (Executivo, Judiciário e Legislativo).

O comunicado foi divulgado depois da explosão da polêmica entre o Governo brasileiro e o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, quem criticou os atrasos nos preparativos para o mundial e chegou a dizer que os organizadores precisavam “de um pontapé no traseiro” para “começarem a trabalhar sério”.

A resposta veio por meio do ministro de Esporte, Aldo Rebelo, quem em entrevista coletiva no sábado considerou as declarações de Valcke “impróprias”, “ofensivas” e “inaceitáveis” e anunciou que o Governo não o reconhece mais como “interlocutor” para questões vinculadas ao mundial.

Após as declarações de Rebelo, Valcke tachou a reação do Brasil como “infantil” e ratificou que visitará o país em março para inspecionar as obras relacionadas à Copa do Mundo.

O comunicado da CBF admite que “pode parecer que algumas questões da organização do mundial avançam lentamente”, mas indicou que “em todo processo democrático, as discussões devem ser amplas e levarem sempre em conta os interesses do povo”.

A entidade máxima do futebol brasileiro parece ter feito referência à demora na aprovação pelo Congresso Nacional da lei que regulará tudo o que envolve a Copa do Mundo de 2014, que também foram alvo de queixas de Valcke, quem afirmou que a Lei Geral da Copa já deveria ter sido sancionada em 2007.

Segundo a CBF, “o Brasil não tem dono, é uma democracia sólida reconhecida mundialmente e tanto o país quanto os três poderes devem ser respeitados sempre”.

O comunicado responde as hipóteses divulgadas na imprensa, que levantaram temores no sentido de que o conflito entre a Fifa e o Governo possa levar a Copa do Mundo a mudar de sede, apesar de faltar pouco mais de dois anos para realização.

“O mundial será no Brasil e não será por acaso”, afirmou a CBF na nota, na qual admite como legítima e natural a preocupação da Fifa, mas garante que “a entidade pode ficar tranquila”, pois o país “tem competência e seriedade para organizar uma Copa do Mundo impecável e inesquecível”.

CBF entende preocupação da Fifa com Copa, mas defende respeito ao Brasil

Sem mais artigos
Sair da versão mobile