A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) se juntou ao Atlético-MG na briga para que o jogo de volta da final da Taça Libertadores, contra o Olimpia, no dia 24 de julho, seja disputado no estádio Independência e não no Mineirão, como determinou a Conmebol.

“Vamos exigir o direito de o Atlético Mineiro disputar o segundo jogo da final na sua casa, o estádio Independência. Essa é uma pretensão que consideramos justa e dela não nos afastaremos”, disse o presidente José Maria Marin, ao site da entidade.

O palco que o Atlético vem jogando desde o ano passado tem capacidade para 23 mil pessoas, o que não atende ao limite estipulado pela Conmebol.

“Assim como o Olimpia vai jogar na sua casa, o Defensores del Chaco, que também não tem capacidade para 40 mil pessoas, o Atlético tem o direito de exercer o seu mando de campo”, questionou Marin.

“Na quarta-feira, estarei no Defensores del Chaco para torcer pelo Atlético, e estou certo de que não haverá problema algum. Pelo mesmo raciocínio, pelo cumprimento do princípio da igualdade, estarei no dia 24 de julho na casa do Atlético, no Independência”, completou o presidente da CBF.

CBF solicitará a Conmebol que final da Libertadores seja no Independência

Sem mais artigos