O chefe da arbitragem da Federação Paulista de Futebol, Coronel Marinho, descartou, em entrevista à rádio “Estadão/ESPN”, a possibilidade de um novo sorteio para o árbitro do duelo entre Palmeiras e Corinthians.

“Foi aquilo e não vai ter outro sorteio. Se o sorteio foi desonesto, alguém precisa demonstrar isso que a gente afasta naturalmente. O árbitro merece nossa confiança”, disse o dirigente da entidade, que responsabilizou o acaso pela escolha de Paulo César de Oliveira.

“Foi uma coincidência, pois eu ainda não sei nenhuma mágica para fazer cair a bolinha do Paulo César”, completou Marinho.

A polêmica começou na última quarta-feira (27) quando a FPF sorteou Paulo Cesar de Oliveira para comandar a semifinal entre Corinthians e Palmeiras. No entanto, o “Jornal da Tarde” já havia antecipado que o árbitro seria o “escolhido”.

Nesta quinta-feira (28), o vice-presidente de futebol do Palmeiras, Roberto Frizzo, pediu um novo sorteio para o árbitro (leia mais aqui).

Sem mais artigos