O jamaicano Usain Bolt, campeão olímpico nos 100, 200 e revezamento 4×100 metros, está confiante em brilhar nos Jogos Olímpicos de Londres, onde pode se tornar o primeiro bicampeão nas duas provas individuais.

“Várias lendas vieram antes de mim, mas esta é minha hora, vai a ser meu momento e este vai ser o ano em que vou me destacar sobre outros atletas do mundo”, declarou ao jornal britânico “The Guardian”.

Bolt, de 25 anos, apareceu para o mundo após bater recordes mundiais e conquistar três medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008. O jamaicano ainda repetiu a façanha no Mundial de Berlim 2009, mas nos dois últimos anos, não conseguiu manter o alto nível.

No último mês, Bolt foi derrotado duas vezes por seu compatriota Yohan Blake nas seletivas jamaicanas para os Jogos. No ano passado, Bolt protagonizou o grande fiasco do Mundial de Daegu (Coreia do Sul) ao ser desqualificado por queimar a largada na final.

“Ao longo da temporada acontecem coisas que perturbam, mas é necessário aprender com os erros. Só tenho que me preocupar para que isso não ocorra nos Jogos”, contou.

Apesar dos últimos contratempos, Bolt não perdeu a confiança. “O que posso fazer? Seguir trabalhando e deixar que as pessoas pensem o que queiram. Trabalhei mais que nunca porque sei quanto custa ser um campeão. Sei o que quero e estou concentrado para vencer”, disse.

Bolt acredita que estará em sua melhor forma para os Jogos. “Em cada sessão de treino, me sinto melhor. Não tenho mais preocupações, só treinar, comer e dormir. Não tenho nenhuma dúvida que vou ganhar”, comentou.

O jamaicano afirmou que terá que fazer uma prova perfeita, mas não deixou de cutucar Blake, pela sua menor experiência. “Não será ele só contra (Blake). Terá o Asafa Powell, Tyson Gay, Justin Gatlin e alguns mais. Será uma corrida com atletas de alto nível. Por isso, vai ser um nível de competição diferente para Yohan”, disse.

Bolt, que já participou dos Jogos Olímpicos, disse que a prova será um desafio para os atletas, principalmente para o campeão mundial dos 100 metros rasos. “A corrida vai produzir um grande estresse. Realmente vai ser um teste para ele (Blake) como atleta e como pessoa. Poderemos comprovar sua verdadeira qualidade”.

Sem mais artigos