O brasileiro César Cielo terá que enfrentar um procedimento acelerado perante a Corte Arbitral do Esporte (CAS) antes de sua participação no Mundial de Xangai pela apelação da Federação Internacional de Natação (Fina) por ter sido flagrado no exame antidoping realizado durante o Troféu Maria Lenk, em maio.

Campeão olímpico dos 50 metros livre e recordista mundial dos 100 metros livre, deu positivo junto a Cesar Cielo, Nicholas Santos, Henrique Barbosa e Vinícius Waked por consumo de furosemida, um diurético proibido.

A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) decidiu no último dia 1º apenas adverti-los, já que não encontrava “culpa ou negligência” por parte dos nadadores, decisão de que a Fina optou por recorrer junto ao CAS.

A audiência acontecerá no próximo dia 20, em Xangai, quatro dias depois do início do Mundial, e as partes estarão autorizadas a participar por videoconferência, em uma sessão que durará 12 horas e cuja decisão será divulgada no dia 22, segundo comunicado emitido pela Corte.

Os nadadores envolvidos serão suspensos a pedido da Fina, e os resultados obtidos desde a data do exame serão cancelados. No entanto, Cielo poderá competir caso a resolução lhe seja favorável, já que a competição dos 100 livre começa apenas no dia 27, e dos 50 livre, dia 30.

Sem mais artigos