Valorizar os benefícios que a prática esportiva gera no cidadão, promover a inclusão em diferentes esferas e, de quebra, ajudar na popularização de um esporte ainda pouco conhecido no Brasil. Esses são alguns dos objetivos do Japeri Golfe Club, em funcionamento no município da Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Criando em 2005, o clube é o primeiro campo público de golfe do país e mantém uma escola para atender crianças e jovens em situação de risco. Engana-se quem pensa que o projeto se limita a ensinar tacadas. Além de terem garantidos a preparação física, uniformes, tacos e a chance de poderem viajar para competir em outros estados e países, os participantes recebem reforço escolar, assistência dentária, cestas básicas, e participam de programas de inclusão digital. A iniciativa foi, inclusive, reconhecida pelo R&A, entidade máxima do golfe mundial, como modelo de transformação social por meio do esporte.

Segundo Vicky Whyte, presidente do Japeri Golfe Club, para ingressar na Escola de Golfe é preciso ter menos de 18 anos e estar matriculado na escola, com rendimento satisfatório, além de morar em Japeri ou Engenho Pedreira. Todos os equipamentos utilizados são gratuitos, assim como as aulas em si. “Temos também preços acessíveis para adultos interessados em frequentar o clube. É possível pagar uma taxa por dia e alugar todo o equipamento para tomar aulas ou jogar no campo”, explica Vicky.

Contando com recursos governamentais e de patrocinadores como Oi Futuro e Casa Granado, o clube se gaba de estar formando futuros campeões, seja no golfe ou em qualquer outra atividade. “A expectativa é que os jovens saiam com suas vidas profissionais encaminhadas, no esporte ou não. Eles precisam saber que têm chances de crescimento e melhoria de vida no futuro se continuarem estudando e se esforçando”, diz a presidente.

Atualmente 120 crianças e adolescentes frequentam a Escola de Golfe, com treinos de terça a sexta-feira, realizados tanto pela manhã quanto à tarde. É durante as práticas que os participantes entendem a importância de valores como honestidade, respeito ao outro, paciência e espírito de equipe. “Precisamos de mais campos públicos e equipamentos mais em conta. O golfe é até agora um esporte da elite no Brasil, mas não precisa continuar assim. A construção de campos públicos abrirá o golfe a todos”, finaliza Vicky Whyte.

Conheça mais acessando a página do clube

Sem mais artigos