O búlgaro Stiliyan Petrov, de 33 anos, que se aposentou do futebol por sofrer de leucemia, pediu à torcida do Aston Villa que pare com a homenagem feita em todos os jogos da equipe, na qual, aos 19 minutos, todos começam a bater palmas, em alusão ao número que o atacante utilizava. A notícia é do site do jornal inglês Daily Mail desta quarta-feira (14).

“Precisamos seguir em frente”, comentou o ex-capitão do Villa, que pediu de forma bastante educada.

Na vitória do time sobre o Málaga, em amistoso realizado no último sábado (10), o próprio Petrov viu os 22 mil torcedores no estádio prestando o tributo.

“Os torcedores me perguntaram sobre essa questão e quero deixar claro que isso é uma grande atitude deles, um gesto inacreditável que significa muito para mim e para a minha família durante alguns dos períodos mais duros que vivemos. Os torcedores mostraram muito amor, apoio e respeito e nunca esquecerei isso em meu coração. Mas todos temos que seguir em frente e não tenho problemas com isso. De fato, sei que eles sempre estarão ao meu lado, estão comigo e estou em seus pensamento. Isso é uma coisa muito preciosa”, relatou o búlgaro.

Petrov jogará sua primeira partida desde a doença no dia 8 de setembro, em um amistoso em que um combinado de seus colegas enfrentará lendas do Celtic, na Escócia. A partida está sendo chamada de #19 Legends e levantará verba para a fundação de Petrov e para o centro de caridade do Celtic. Na ocasião, ex-jogadores como Henrik Larsson, Paul Lambert e Chris Sutton entrarão em campo, com o atual técnico dois escoceses, Neil Lennon, comandando.

Stiliyan Petrov, chamado carinhosamente de Stan, está em remissão após intensa quimioterapia e recentemente contou que a batalha contra a leucemia está sendo “pior que o inferno”.

“Não sei como é o inferno. Mas isso deve ser pior, te digo isso. Tem sido muito duro, mas nunca vou desistir”, disse Petrov, que é casado e tem dois filhos.

Sem mais artigos