A nova lesão sofrida por Valdivia em sua coxa esquerda é de grau leve, mas pode forçar o meia palmeirense a voltar aos gramados apenas na temporada 2011. “Este é o prognóstico mais esperado após os últimos acontecimentos com o atleta”, crava o médico alviverde Rubens Sampaio, em entrevista exclusiva concedida à Rádio Jovem Pan.

Vítima de uma fibrose muscular no mesmo local, o meia chileno foi escalado com frequência pelo técnico Luiz Felipe Scolari nas partidas ocorridas desde 15 de outubro, quando deixou o campo com dores na vitória sobre o Univerrsitario de Sucre, da Bolívia. Depois de deixar o campo em todas essas oportunidades, o mesmo aconteceu na última quarta-feira (10), durante o triunfo por 2 a 0 diante do Atlético/MG, que colocou o time na semifinal da Copa Sul-Americana.

Um exame de ressonância magnética realizado na quinta-feira apontou a lesão. “Trata-se de uma contusão pequena no glúteo, de cerca de meio centímetro. O período de recuperação gira em torno de três a quatro semanas”, frisa Sampaio. De qualquer forma, o médico do Palmeiras pondera as circunstâncias do quadro recente de Valdivia para o retorno dentro deste período. “Ele precisará estar seguro e resgatar a confiança. Nosso papel é fazer o máximo para que ele não se sinta ansioso.”

Sampaio ainda atribui a lesão no mesmo local à falta de coordenação provocada pelo esforço feito na tentativa de recuperação da fibrose. “A preocupação com a coxa esquerda pode sim provocar este tipo de lesão. Foi muito desconfortável explicar por que ele entrou e saiu de campo quatro vezes”, diz. (clique aqui e ouça mais sobre o caso Valdívia).

Sem mais artigos