O futebol internacional é muito popular no Brasil, principalmente se tratando de futebol europeu. Imagine, no entanto, ao invés de assistir Real Madrid x Barcelona, ou Manchester United x Chelsea, acompanhar uma partida entre Deportivo Táchira e Caracas que poderia dedicir o torneio Clausura venezuelano. Se não traz o mesmo atrativo que os grandes clássicos europeus, ao menos seria uma experiência interessante.

Os dois clubes citados são os maiores campeões do campenato nacional da Venezula, com onze títulos para o Caracas e sete para o Táchira, mesmo número do Union, que se sagrou campeão pela ultima vez em 1950, antes do futebol ser profissionalizado no país, algo que aconteceu somente a partir de 1957. O atual campeão é o Zamora.

Como boa parte dos campeonatos nacionais na América Latina, o torneio atualmente é disputado no sistema Apertura e Clausura, por 18 equipes. As vagas para a Taça Libertadores da América ficam com os campões dos dois torneios e pelo melhor colocado na tabela geral, enquanto o quarto melhor vai para a Copa Sul-americana. O campeão nacional é decidido entre o vencedor do Apertura e do Clausura, em jogos de ida e volta.

Até 1986, o torneio era disputado como no Brasil, começando e terminando no mesmo ano. A partir dessa data, porém, se passou a acompanhar o calendária europeu, começando no meio de um ano e terminando no próximo, experiencia que até mesmo os venezuelanos, sem muita tradição no futebol, já sabem que é mais viável.

Disputado desde 1921, ainda na era amadora, o torneio nunca chegou a ter grandes nomes do futebol mundial. Talvez o mais conhecido tenha sido o polêmico goleiro colombiano Higuita, que em 2006 jogou pelo Guaros de Lara.

Sem mais artigos