A Conmmebol anunciou nesta sexta-feira (14) que abriu investigação preliminar sobre os insultos racistas contra o volante Tinga, do Cruzeiro, proferidos por torcedores do Real Garcilaso, durante partida da primeira rodada do grupo 5 da Taça Libertadores.

O procedimento foi instaurado na véspera pela Unidade Disciplinar da entidade, que tem autonomia para abrir qualquer ação mesmo sem denúncia prévia. A atitude de parte do público no estádio Huancayo, na cidade do mesmo nome, constituiria uma infração segundo as normas da Conmebol.

Na partida da última quarta-feira (12), Tinga saiu do banco de reservas no decorrer do segundo tempo. No momento da substituição e a cada vez que tocava na bola, o jogador era obrigado a ouvir imitações de macacos vindas da arquibancada. Hoje, na chegada ao Brasil, o volante desabafou.

“Fiquei feliz com o apoio de todos, jogadores e autoridades, mas ninguém nunca se prepara para viver uma situação dessas, uma situação tão séria como o preconceito. Tomara que isso ajude a mudar essa situação e que ninguém mais passe por isso. Vamos trabalhar para que não aconteça a mesma coisa com outros”, disse o jogador ao site do Cruzeiro.

Sem mais artigos