A concorrência pelo futebol a partir de 2011 ainda não foi aberta, mas o Clube dos 13 (C13) já adiantou algumas exigências que fará às empresas de mídia interessadas em adquirir os direitos de televisão do Campeonato Brasileiro no triênio 2011/12/2013.

A principal delas, que era alvo de oferta das emissoras de TV concorrentes da Globo, já foi por água abaixo: tanto a exclusividade na TV aberta, quanto o número de jogos a serem exibidos pela emissora escolhida serão mantidos.

Ou seja: a proposta de se exibir um jogo aos sábados e outro às quintas foi descartada. Segundo Ataíde Gil Guerreiro, que comanda o marketing do C13, esse fato atrapalharia o grande filão da entidade, que é o Pay per View, que vem crescendo vertiginosamente nos últimos anos: “não vamos abrir um novo dia de jogos. Isso está descartado. Hoje o que mais cresce é o pay-per-view, e se eu aumentar um dia eu vou atrapalhar isso”.

Guerreiro, que já foi dirigente do São Paulo, está ainda tentando mais inovações. Ele afirmou que o novo contrato será baseado nos que existem na Europa, com o fato de que a concorrência será aberta e a Rede Globo, que detém os direitos atualmente, perdeu o chamado “direito de preferência”, que lhe garantia a vantagem de poder cobrir qualquer proposta melhor que a sua. Agora, a competição será simples: os envelopes serão abertos e a melhor proposta leva.

Outras Mídias – Quanto a TV à cabo e Internet, a questão será diferente. Os direitos poderão ser divididos com mais de uma empresa e também serão oferecidas outras propriedades, como redes sociais, por exemplo.

Desta maneira, sites como Orkut e Facebook, por exemplo, poderão ter exclusividade na exploração de produtos como bolões e jogos virtuas, por exemplo. Todo o processo deve ser auditado por uma empresa terceirizada. Após 2013, a ideia do C13 é criar uma Liga, aos moldes da Premiership inglesa, que organiza e gere o campeonato.

Contrato de TV do Brasileiro manterá exclusividade

Sem mais artigos