A Corte Arbitral do Esporte (CAS), com sede em Lausanne (Suíça), confirmou nesta quinta-feira a suspensão definitiva do tenista sérvio David Savic estipulada no ano passado pela Unidade de Integração de Tênis (TIU), mas anulou a multa de US$ 100 mil imposta na época.

A TIU, iniciativa amparada pelo Comitê de Grand Slam, a Federação Internacional de Tênis e os circuitos ATP e WTA como parte do Programa Anticorrupção no Tênis, declarou Savic – de 27 anos e habitual em torneios menores – culpado de convidar outros jogadores para arranjar o resultado de partidas.

Na resolução divulgada hoje, a CAS rejeita o recurso do sérvio ao considerar que há numerosas provas de que Savic cometeu os fatos pelos quais foi punido e diz que a suspensão definitiva não é desproporcional.

No entanto, anula a multa econômica alegando que é inadequado impor uma sanção econômica além da suspensão.

Sem mais artigos