O meia Ronaldinho Gaúcho pode trocar os gramados de futebol pela cadeira do banco dos réus de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Câmara Municipal de Porto Alegre. De acordo com o jornal “Extra” convênios da Secretaria Municipal de Educação (Smed) com o Instituto Ronaldinho Gaúcho serão avaliados pela Comissão de Educação, Cultura, Esportes e da Juventude (Cece).

O pedido foi feito pelo vereador Mauro Pinheiro (PT) na última quarta-feira. De acordo com ele, existem suspeitas de irregularidades nos acordos para repasse de verbas da prefeitura para a Organização do pentacampeão mundial. Em quatro anos de atividade, o projeto, dirigido pelo empresário do atleta, Assis, já gerou o repasse de R$ 6 milhões do poder público à organização. O valor gira por R$ 4 mil ao dia. 

“Eu tenho dúvida de que esta parceria signifique uma boa aplicação de recursos públicos. Quais foram os resultados efetivos destes convênios?”, afirmou o político, por meio de um Blog. 

Outro fator que também é questionado é o alto valor gasto em alguns dos produtos. Dentre eles estão a aquisição de 140 bolas de futebol a R$ 9 mil, 50 pares de bandeiras por R$ 5 mil e 1.490 refeições em restaurante por R$ 41.720. 

“A população acreditava que o Ronaldinho Gaúcho bancava tudo na organização”, completou, em entrevista ao diário.

Sem mais artigos