O tênis argentino segue sua rota de colisão após se aproxima muito do topo. Muito é especulado desde que os tenistas do país perderam a decisão da Copa Davis em casa para a Espanha, que estava desfalcada de Rafael Nadal. A bola da vez foi Gaston Gáudio, que apontou uma crise interna como motivo para a derrota.

 

"A Davis foi perdida há três meses e não no fim de semana em Mar del Plata. Perdeu-se desde que houve brigas porque um quer jogar aqui e outro lá ou porque um diz ‘isso sou eu que quero levar’. Você está jogando uma final de Davis, nada deveria importar mais que isso”, disse Gáudio em entrevista à rádio argentina Metro.

 

O tenista não participou da equipe que perdeu para a Espanha, pois está afastado da seleção desde que viu sua carreira no tênis declinar. Após chegar ao posto de cinco melhor do mundo e ganhar o torneio de Roland Garros em 2003, o atleta despencou no ranking.

 

"Os dirigentes perguntaram a todos os jogadores e dissemos o mesmo [Jaite, ex-técnico de Nalbandian]. Não sei para que fazem isso se depois colocam aquele que eles querem. Não me parece que Tito, eleito pela associação, vá conduzir melhor que Mancini, escolhido pelos tenistas. A outra opção era [Guillermo] Villas e, dos que estavam disponíveis, Tito era o último para se colocar", critiando a escolha de Gillermo Villas e não de Jaite como novo treinador da seleção.

 

Leia também:

 

Ana Ivanovic é eleita mulher mais sexy do tênis mundial

Sem mais artigos