O polêmico episódio da ausência de Dagoberto contra o Ceará, na derrota por 2 a 0 em Fortaleza, voltou à tona nesta segunda-feira por intermédio do próprio jogador.

Em entrevista coletiva, o atacante admitiu ter usado um remédio contra dor de cabeça com substância proibida em exames antidoping. Por conta disso, acabou vetado pelo técnico Paulo César Carpegiani.

Dagoberto tratou como “infantilidade” o fato de já ter se medicado por conta própria por inúmeras vezes e, portanto, ter ficado sujeito a ser pego no antidoping. “Aconteceu, fica o aprendizado. Eu vinha de cinco dias bem difíceis, gripado, com bastante dor de cabeça. Acordei tarde da noite e, até por infantilidade e inocência, tomei. Já tinha feito outras vezes. Fui falar brincando com o doutor e não sabia da importância”, desabafou.

Mesmo assim, o camisa 25 tricolor não caiu em descrédito com Carpegiani. Após tirá-lo do duelo ante o “Vozão”, o treinador garantiu que ele seguiria como titular absoluto da equipe.

O próximo compromisso do São Paulo (7º colocado no Brasileirão) é diante do Cruzeiro. O jogo será realizado no Parque do Sabiá, em Minas Gerais, nesta quarta-feira.

Sem mais artigos