O presidente do UFC, Dana White, deu mais uma amostra de que sabe ser duro com as palavras. No momento em que o MMA cresce cada vez mais e ameaça deixar o boxe em segundo plano no mundo das lutas, o mandatário resolveu alfinetar o empresário do boxeador Manny Pacquiao, Bob Aaron.

O dirigente do boxe havia feito críticas ao UFC, dizendo que a entidade remunera de maneira muito baixa seus lutadores, que ganham apenas 20% da receita das lutas, contra 80% distribuído pelas comissões de boxe, segundo Aaron.

“O boxe ganha dinheiro há pelo menos 50 anos, e nós começamos a ganhar dinheiro em 2006. O MMA é um esporte novo, e em cinco anos nós fizemos por volta de 40 milionários e 20 e poucos multimilionários. Isso em seis anos, o boxe está por aí há 100 anos! Aaron promove lutas há 110 anos”, respondeu White.

“Quando falamos de boxe, existem uns cinco lutadores que ganham o que ele está dizendo. Mas pouca gente sabe que alguns atletas que participam dos cards do [Manny] Pacquiao ou do Floyd [Mayweather] ganham apenas R$ 1000 para lutar”, completou.

Dana White também lembrou o rápido crescimento do UFC e afirmou que os amantes do boxe têm medo do assombroso desenvolvimento da modalidade ao redor do mundo.

“Ele está com medo de nós, do esporte do qual riu há dez anos. Nós temos um negócio diferente e tivemos mais sucesso nos últimos seis anos do que ele teve nos últimos 50. E é bom lembrar que nos primeiros seis, sete anos desde que assumimos o UFC, tudo o que os lutadores ganharam saiu do bolso dos Fertitta. Você já fez isso por seus lutadores, seu porco gordo?” 

Sem mais artigos