Fibrose. Essa palavra nunca foi dita tantas vezes no futebol antes da novela Valdivia começar. Já virou praxe, o Palmeiras entra no gramado com o chileno e em poucos minutos o ídolo alviverde deixa o campo com dores na coxa esquerda. Até a última quarta-feira, os médicos do clube colocavam toda culpa na tal da fibrose.

Para esclarecer a dúvida de milhões de palmeirenses sobre o tamanho da gravidade de uma fibrose, o Portal Virgula foi atrás de um dos médicos mais conceituados do Brasil, Dino Altmann, médico da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA).

“Fibrose nada mais é que uma cicatriz, um tecido que cicatrizou, mas não tem a mesma elasticidade, o que faz o músculo retrair”, disse Altmann.

Segundo o médico, uma lesão muscular demora dois anos para se modelar, mas a partir do primeiro mês ela já está completa. Em alguns casos, o tecido que cicatriza a lesão não tem tanta elasticidade, mas esse problema passa com o tempo quando ele vai ficando menos rígido.

A situação de Valdívia é semelhante e o chileno precisará passar por tratamento intensivo para o tecido ficar menos rígido. “Se o atleta ficar sofrendo com essa dor e ela não for tratado, pode ocorrer uma nova ruptura do músculo. A melhor maneira de tratar é fazer alongamento e fazer fisioterapia com ultrasom, além de anti-inflamatórios”, completou.

O drama chileno

O primeiro indício de problemas na coxa esquerda de Valdivia surgiu no jogo de ida contra o Deportivo Sucre, pela Copa Sul-Americana, no dia 14 de outubro. O meia saiu de campo ainda no primeiro tempo e veio o diagnóstico dos médicos palmeirenses: fibrose.

Por conta disso, não jogou contra o Ceará pelo Brasileirão e voltou a campo no jogo de volta contra o Sucre, em São Paulo. Esta foi a última partida que Valdivia jogou os 90 minutos.

A sequencia foi terrível para o Mago. Entrou e saiu pouco no 2º tempo do clássico do Corinthians. Jogou menos de 20 minutos na partida de ida das oitavas de finais da Sul-Americana contra o Atlético-MG. Se poupou contra Goiás, Atlético-PR e Guarani.

Valdivia voltou novamente contra o Galo, pela volta do torneio continental, mas ficou pouco mais de 15 minutos em campo e saiu chorando de campo.

O resultado de um novo exame realizado pelos médicos do Palmeiras deve sair nesta sexta-feira.

Sem mais artigos