Parabéns, mulheres! Hoje é comemorado o dia de vocês que, com muita luta, vêm conquistando seu espaço com muita dificuldade em todos os aspectos. Nos esportes não seria diferente e uma mulher conseguiu encontrar seu espaço em um família e em uma modalidade dominada por homens: Kyra Gracie, bisneta do criador o jiu-jitsu brasileiro.

Kyra é pentacampeã mundial de jiu-jitsu (2004, 2006, 2008 – peso pluma e absoluto – e 2010) , tricampeã da ADCC World Submission Fighting Championships (2005, 2007, 2011) e pentacampeã panamericana (2001, 2002, 2003, 2005, 2007). Além disso tudo, ela é a única mulher da família Gracie a conquistar a faixa preta na modalidade que seu bisavô, Carlos Gracie, criou junto com Hélio Gracie.

A atleta começou a treinar logo aos 11 anos, e aos 15 ela já pediu que seu avô a inscrevesse no Campeonato Estadual. O único problema é que ele a inscreveu, por engano, em uma categoria 19 kg acima de Kyra, além da categoria que mistura todos os pesos, chamado “absoluto”. Kyra só descobriu a confusão chegando lá pra competir e mesmo assim encarou todo mundo, mostrando que o sangue dos Gracies faz a diferença na hora do vamos ver.

Mesmo mostrando a que veio, Kyra Gracie sofreu machismo em sua própria família. “No começo, eles [família] me apoiaram porque acharam que era brincadeira. Quando viram que era sério, disseram que era para eu deixar a luta com os homens. Mas bati o pé e continuei. Depois que comecei a competir e a me destacar, eles deram o braço a torcer e passaram a me apoiar”, disse a lutadora.

Hoje aposentado do jiu-jitsu, Kyra viaja o mundo dando palestras e seminários, além de ser comentarista contratada pelo Sportv e pelo Combate. Ela ainda encontra tempo para dar aulas de jiu-jitsu em diversas academias de sua família e cuidar de sua filhinha 6 meses, Ayra, com o ator Malvino Salvador.

Sem mais artigos