Em entrevista à “Jovem Pan”, o diretor de futebol do Palmeiras, Roberto Frizzo, negou a notícia divulgada pelo Al-Ain de que o meia chileno Valdívia estaria de volta ao clube.

“Não teria nenhum sentido emprestar o Valdívia, que vem em um fase boa (…) comprá-lo, pagar o que nós pagamos e emprestá-lo de novo a quem nos vendeu, ou este empréstimo teria que ter uma renumeração que até o mundo árabe acharia exorbitante ou teria que ser um valor tão expressivo ou mais do que foi nossa compra”, afirmou o dirigente.

Frizzo confirmou, contudo, que “quase diariamente” há consultas pelo jogador. “É normal esta procura quando se tem um jogador deste destaque”, reconheceu, antes de decretar: “não vejo nenhuma possibilidade (de saída)”.

Apesar do desementido, o cartola não descarta uma saída futura: “nunca tive jogadores inegociáveis”, afirmou, antes de completar: “temos que pensar que futebol é um negócio e, se ainda que contrariados, tivessemos que nos desfazer do jogador, teria que ser por uma importância compensadora”, afirmou, lembrando da dívida de R$ 20 milhões a ser quitada com uma instituição bancária.

Sem mais artigos