Em repercussão à polêmica entrevista do presidente Alberto Tirone ao jornal O Estado de S.Paulo (leia aqui), a reportagem JP falou exclusivamente com o vice de futebol palmeirense Roberto Frizzo. Em resposta às muitas críticas de Tirone ao meia chileno Valdivia, Frizzo rebateu a fala de seu superior a respeito do que ele chamou de “péssimo investimento” por trazer o “Mago” de volta. “Foi uma entrevista polêmica, mas ninguém melhor que o Tirone para justificar pessoalmente aos envolvidos todas as suas decalarações”, disse o dirigente.

A divulgação da entrevista do presidente gerou quase que simultaneamente a plena revolta dos torcedores alviverdes nas mídias sociais. Na visão de Frizzo, o desabafo de Tirone deve causar gradativa ebulição no departamento de futebol do clube. “Eu considero também que a operação financeira para ter Valdivia foi feita num momento ruim para o clube, mas não dá para falar em péssimo investimento, afinal ele teve uma série de contusões até o momento”, frisou.

O Palmeiras ainda precisa pagar o valor de 6 milhões de dólares aos árabes do Al Ain, clube anterior de Valdivia. Diante deste cenário, Frizzo lembra que outros clubes também fizeram contratações de risco no passado recente e geraram contratempos inesperados. “Alguns exemplos são as lesões de Adriano, no Corinthians, e Luis Fabiano, no São Paulo. O Rivaldo e o Ronaldinho Gaúcho também ainda não justificaram o investimento”, avaliou.

Segundo o vice de futebol, as críticas a respeito da vida noturna de Valdivia devem ser amenizadas, já que se trata de algo corriqueiro também com outros atletas. “Situações como esta só vem à tona em momentos de resultados indesejáveis. O Valdivia deve ser tratado de forma diferenciada. Sem dúvida, é um jogador capaz de mudar o panorama das partidas, é ídolo da torcida e já se declarou à torcida como um apaixonado pelo Palmeiras.”

Sem mais artigos