Mesmo sem repetir a excelente fase das últimas temporadas, o atacante Lionel Messi é a maior esperança da torcida e do próprio elenco da Argentina para a disputa da Copa do Mundo, o que já ganhou o nome de “messidependência” pelo companheiro de seleção, Javier Mascherano.

“É impossível não ser ‘messidependente’. Se você tem o melhor do mundo e não depende dele, vai depender de quem, então? Temos que tentar aproveitá-lo ao máximo, e o Leo tem que sentir que estamos jogando em função dele, para que alcance seu potencial”, disse o volante, companheiro de clube do astro.

Outro que falou do craque do Barcelona foi Ángel Di María. Rival no futebol espanhol, o meia comparou os estilos de jogo de Cristiano Ronaldo – eleito o melhor do mundo este ano pela Fifa -, do Real Madrid, e de Messi na seleção argentina: “São dois craques, me entendo com os dois. Um prefere o jogo curto e rápido aqui na seleção. O Cristiano gosta de cruzamentos e bolas em profundidade”.

Mascherano e Di María lamentaram os cortes de Ever Banega, José Sosa e Nicolás Otamendi da lista final dos 23 jogadores convocados para a Copa do Mundo.

“Não dá para imaginar a dor, mas a vida segue. Todos lutamos para estar neste lugar, e os três lutaram com o mesmo empenho e ficaram fora”, explicou Mascherano, que foi bicampeão olímpico em Atenas 2004 e Pequim 2008.

“Foi muito difícil. Sinceramente, todos somos profissionais e entendemos, mas devido às circunstâncias não dá para calcular a dor que sentiram os três”, disse Di María.

Sobre as possibilidades de vencer a Copa, o meia do Real Madrid foi enfático: “Nós queremos a ganhar a Copa e todo o mundo sabe que não é fácil, há muito anos que a Argentina não é campeã e nem chega a uma final”.

Mascherano frisou que agora o elenco está mais experiente. “Tudo isso vai te acrescentando de alguma maneira, e ter jogadores com mais experiência também é muito importante. Não é o mesmo Di María que o de 2010, nem o mesmo Messi ou o Higuaín, inclusive no meu caso. Muitos já estão rodados e vão jogar a Copa pela segunda ou terceira vez”, afirmou.

A Argentina estreia no grupo F no dia 15, contra a Bósnia, no Maracanã. Depois, enfrentará o Irã, no dia 21, no Mineirão. O último adversário da primeira fase do torneio será a Nigéria, no dia 25, no Beira Rio.

Sem mais artigos